#37: ⏰ Hora de mudar de bolhas...

Um relato sobre uma grande mudança na minha vida.

Bora escrever uma edição da Breaking the Bubble um pouco diferente.

Pela primeira vez, o tema será de apenas uma bolha.

A minha bolha da mudança.

Quem me acompanha no Instagram já viu que agora sou um morador de Bombinhas - Santa Catarina.

Eu e minha esposa decidimos sair da bolha da cidade em que nascemos e que sempre moramos - Curitiba - para uma bolha bem diferente: Na praia, em uma cidade pequena.

Essa loucura que estamos vivendo da distância física, de isolamento, me fez abrir a cabeça para o que é realmente estar presente.

Estar presente é estar próximo fisicamente?

Definitivamente não.

Só lembrarmos das idas aos restaurantes onde metade das pessoas ficavam com a cara no celular, parecendo que estão ali por obrigação e o que estava rolando em outro lugar parecia muito mais interessante.

E eu me coloco nesse bolo.

Já me peguei diversas vezes tentando aproveitar algo que estava fazendo - como um bar com os amigos - e também tentando não perder o assunto que estava rolando nos grupos de Whatsapp.

Ou seja, estava perto fisicamente de uns, mas longe mentalmente de todos.

Um ciclo vicioso.

Ai que comecei a entender que para mim, não é a distância que faz eu ficar distante - é a maldita FOMO (Fear of Missing Out).

Ficar nesse labirinto é cansativo, e tenho certeza que muitas pessoas se identificam comigo.

TÁ NA HORA DE MUDAR ESSE HÁBITO

Da mesma forma que é cansativo tentar estar em todos os lugares e nunca conseguir atingir esse objetivo, é extremamente agoniante ficar paralizado e apegado às coisas que estão certinhas demais.

“O mais feroz dos animais domésticos
é o relógio de parede:
conheço um que já devorou
três gerações da minha família”, Mario Quintana

O que quero dizer é que mudar é bom, se adaptar a novas rotinas faz a mente criar novas perspectivas e é essa a busca do meu atual momento.

Que não sejamos como o personagem José Arcadio Buendía, do livro Cem Anos de Solidão, do Garcia Marquez, após ter enlouquecido foi amarrado a uma árvore na qual permaneceu preso, mesmo após ter sido libertado das cordas que o amarravam.

Bora quebrar as bolhas que nos certam!

E calma galera, semana que vem, a news volta ao seu “normal”.

Um grande abraço! =)


Tem algo a compartilhar? Conte para mim:

Leave a comment